Júpiter em Libra

astro-zeus

Um importante trânsito astrológico se inicia hoje, 9 de setembro de 2016, a partir das 8:18:08 h – onde permanece até 10 de outubro de 2017. Trata-se do ingresso de Júpiter no signo de Libra.

Júpiter ou Zeus, “o deus luminoso do céu”

“Deus supremo do panteão helênico, reunia em si todos os atributos divinos. Era todo poderoso, via tudo, sabia tudo. Dispensador do bem e do mal, era também misericordioso. Castigava os maus, porém era acessível à piedade, protegia os fracos, os indigentes, os fugitivos e os suplicantes. Presidia as manifestações celestes, provocava a chuva, lançava os raios e trovões, e imperava sobre os homens e os deuses das alturas luminosas do Céu, ou ainda do Monte Olimpo, onde morava. Tinha como função primordial manter a ordem e a harmonia do mundo. Pertence à segunda geração divina. Filho do Titã Crono e de Réia. Apoderou-se do poder atacando Crono – que se tornou um tirano ainda pior que seu pai, Úranus – e os Titãs, numa luta que durou 10 anos. Por fim venceu, juntamente com os Olímpicos, expulsando do céu os Titãs…” (V. Dicionário da Mitologia Grega, Ruth Guimarães).

Júpiter era o mais humano dos deuses, vide seu amor pelas terrenas mulheres e número imenso de relações com as mortais.

Na astrologia, Júpiter simboliza fé, crescimento, expansão, oportunidades, benefícios. Indica que as qualidades de Libra serão otimizadas, mas também poderão ser exageradas.

Possivelmente o aspecto mais oportuno dessa mudança do signo de Virgem (Terra) para Libra (Ar), é a configuração harmônica que fará com Saturno em Sagitário. Enquanto em Virgem, Júpiter e Saturno conviveram em uma quadratura, aspecto que expôs as dificuldades de desenvolvimento financeiro, por exemplo, esbarrando em situações que necessitam de mais estrutura para crescer. O aspecto de sêxtil minguante com Saturno, já poderá ser sentido desde já, em função da combinação harmônica entre os signos de Libra e de Sagitário. Mas o aspecto exato entre os dois planetas ocorrerá a partir de 2 de dezembro de 2016 a 28 de janeiro de 2017 e de 25 de agosto a 4 de setembro de 2017. Simboliza a mudança de percepção no que se refere à economia. Em combinação com Saturno em Sagitário em harmonia com Urano em Áries em dezembro de 2016, maio e novembro de 2017, indica um tempo de mudanças construtivas. Transição para o futuro com recursos e experiências vivenciadas no passado.

astro-libra

Libra

O signo de Libra é um signo de Ar, Cardinal (marca o início de uma estação – começar as coisas) e tem as seguintes atribuições: Beleza, Justiça (a presença de Júpiter nesse signo acentua essa atribuição), simetria, elegância, sofisticação, estética, arte, ações cooperativas, relacionamentos (inclusive românticos), diplomacia.

Todos esses assuntos ganharão destaque com a presença de Júpiter em Libra, inclusive na diplomacia internacional já no início desse ciclo. Será de grande força em favor das buscas de solução para acordos em situações críticas como a econômica e a questão dos refugiados.  Ainda, amplia os instintos venusianos (Vênus rege Libra), alianças, núpcias, acordos, armistícios, justiça, relações internacionais.

Libra é fissurado em simetria. A imagem acima mostra uma figura feminina segurando uma balança no ponto de equilíbrio em uma mão e na outra uma espada. Essa imagem remonta claramente ao eixo Áries-Libra, mas também ao fato de que Libra carrega dentro de si o combate, a arte da guerra.

A balança simboliza a busca eterna do libriano, que é o ponto de equilíbrio, mas a balança nunca está em posição de equilíbrio, como sugere a imagem. A estética não é estática. A balança pendente indica a ideia de movimento e ação. Libra tem amor pela simetria em todos os campos de atividades e conceitos. A oscilação da balança indica a busca pelo equilíbrio perfeito, aquele ponto fugaz entre um balanço e outro. Mas, no caminho espiritual, tudo é simétrico. Dessa forma, o ponto de equilíbrio, passa por uma percepção de transcendência, tanto no plano físico quanto moral. E o desenvolvimento da capacidade de discernimento para se alcançar o equilíbrio mais duradouro.

As assimetrias também existem, e nesse trânsito de Júpiter por Libra, ocorrem nos dias 21 de novembro (exato) a 28 de novembro de 2016 (lembrando que os aspectos começam a ser efetivos cerca de 6 dias antes da data exata e se estende na mesma proporção depois do aspecto exato), quando Júpiter faz tensão (quadratura) com Plutão em Capricórnio, e em 22 de dezembro de 2016 (exato), início de março e fim de setembro de 2017, em aspecto tenso (oposição) com Urano em Áries. São aspectos que evidenciam crises mundiais já existentes – financeiras, políticas, ações de países ou grupos com posicionamentos radicais – e podem encontrar seu ápice nesses períodos e principalmente nas proximidades de 26 de fevereiro de 2017 (data exata), quando Marte se encontra com Urano nesse aspecto com Júpiter. Marte é gatilho, Júpiter um acelerador e Urano uma dinamite.

Antes, as oportunidades de negociações e acordos estarão presentes, assim como as ações cooperativas, momentos de prazer e confraternizações, simbolizadas por Júpiter em harmonia com Vênus, regente de Libra, e com Saturno no dia 25 de dezembro de 2016.

 

 

 

 

Anúncios

A Tetrade Lunar e Eclipse Lunar Total 2015

Astro, lua de sangue, 4..4.15, earthsky

A Lua Cheia de 4 de abril de 2015 – Lua de Sangue

Imagem: EarthSky

Em 4 de abril de 2015, teremos um eclipse total da Lua em 14° de Libra, às 9:02 Hs em seu ápice. Os eclipses lunares ocorrem nas luas cheias. Esse eclipse é o 3° eclipse total dessa Tétrade. Tétrade é o nome que se dá ao conjunto de 4 eclipses totais da Lua em sequência. Tétrades são eventos raros. Em todo século 20 ocorreram 5 Tétrades e no século 21 serão um total de 8, sendo que com essa sequência de 2015, iniciada em 2014, faltarão 6 Tétrades até o ano de 2100.

As Tétrades são Luas de Sangue por causa do filtro atmosférico liberando mais luz vermelha e menos luz azul. Elas se relacionam muito intimamente com as Festas Bíblicas, porque o calendário judaico é baseado nas fases da Lua. Então os eventos de eclipses ocorrem sempre em datas históricas do povo judeu.

Na linha do tempo das Tetrades lunares, encontramos o evento da expulsão dos judeus da Espanha em 1492.

Depois pulamos para o biênio 1949 e 1950, fundação do Estado moderno de Israel e a guerra da Independência que durou cerca de 1 ano.

Também em 1967/1968, sempre coincidindo com a Páscoa e com a Festa dos Tabernáculos, ocorreu a vitória israelense na Guerra dos 6 Dias, quando Israel conquistou Jerusalém.

E agora temos a Tétrade de 2014/2015. Em 2014 ocorreu em 15 de abril de 2014 e em 8 de outubro de 2014. Em 2015 será em 4 de abril de 2015 e em 27 de setembro de 2015.

O eclipse lunar de 27 de setembro de 2015 (início às 21:12 hs – exato às 23:47 hs – final às 02:22 hs, horário para Brasília, DF) será o último da sequência e o mais importante, porque coincide com a Super Lua, isto é, o momento de maior aproximação da Lua em relação à Terra, ampliando sua luz em torno de 30%. Isso só voltará a acontecer em 2033, o que demonstra o quão raro é.

Astro, eclipse lunar total, 4.4.15, by Akira Fujii & Telescope

Sequência de um eclipse total da Lua – By Akira Fujii & Telescope

A posição do momento do eclipse de 4 de abril de 2015 em 14° de Libra, configura uma quadratura em T com as posições de Urano em Áries e Plutão em Capricórnio. Esses são os pontos que vêm sendo martelados há alguns anos e simbolizam todos os processos de mudanças que vivemos e que seguramente representam fator de grande importância na história recente. Simboliza expurgos, filtragem, tanto do ponto de vista pessoal quanto coletivo e social. E invariavelmente, período de transição importante na política e na economia mundiais. Um antigo padrão se agarra como pode ao osso velho e dessa resistência, dessa inflexibilidade é que tudo se torna mais escancarado, em um tempo crítico de mudanças em um processo de evolução. Esse eclipse coincide com a assinatura do acordo nuclear entre EUA e potências ocidentais com o Irã, acordo esse que tem a forte oposição de Israel. Ou seja, um componente bem explosivo à vista. Como disse Liz Greene em uma palestra, a Era de Aquário terá que conviver durante muito tempo com um cheiro de peixe podre.

Astro, eclipse lunar total, 4.4.15, by Larry Koehn

Imagem de Larry Kohen

Esse eclipse não será visível no Brasil. Como vemos na imagem acima, terá muita visibilidade no oceano Pacífico.

A seguir, um vídeo da Nasa que mostra com clareza o mecanismo do eclipse e da Tetrade, ainda que seja em inglês.

Eclipse Solar, Ano Novo Astrológico e o Mapa do Brasil

Astro, eclipse solar, 20.03.15

Os eclipses solares fazem parte de uma longa sequência de eventos chamada de Séries Saros, e esse, de 20 de março de 2015 é de número 61 na série Saros 120, com magnitude 1,04, isto é, em eclipses totais a magnitude é sempre mais de 1 ou igual a 1. Esse eclipse é precedido pelo de 23 de outubro de 2014 e será sucedido pelo de 13 de setembro de 2015.

Astro, eclipse solar total, 20.03.15

Fonte: Earthsky.com

Esse eclipse ocorrerá no mesmo dia do Ingresso Solar no signo de Áries e será visível em sua totalidade no Círculo Polar Ártico e de forma parcial no norte da África, Europa e Ásia. O equinócio de Primavera no Hemisfério Norte e de Outono, no Hemisfério Sul, é o evento que corresponde ao início do Ano Novo Astrológico.

Astro, sinastria Brasil e eclipse solar 20 mar 2015

O eclipse solar total ocorrerá no dia 20 de março às 6:36 hs horário oficial de Brasília

O que me chama a atenção nesse eclipse é que fará conjunção exata com Plutão no mapa do Brasil, na 2ª Casa, onde também cairá o Ascendente do mapa do eclipse. A 2ª Casa em mapas de países simboliza o Tesouro Nacional, o Ministério da Fazenda, os recursos financeiros, bancos, instituições financeiras (eixo 2-8), a moeda. Se a Casa 1 representa o povo, a Casa 2 é o dinheiro, os valores desse povo, a poupança. Pode ser o sinal de uma oportunidade para uma ação importante na economia. Plutão rege a Presidência da República e as conjunções sobre sua posição indicam que a batata quente está assando nas mãos da presidente que precisa agir rápido e pontualmente a começar pelas reformas políticas nos 3 Poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário.

Plutão rege a Presidência da República no mapa do Brasil e a partir da da Casa 2, dos valores e recursos financeiros, faz uma quadratura – uma aspecto dinâmico que pode ser construtivo ou destrutivo (depende da ação empreendida) – com Urano e Netuno na Casa 11 natal, que simboliza o legislativo, senadores, deputados, Congresso, partidos políticos. Também os movimentos sociais e os grupos com afinidades ideológicas, os projetos coletivos e a esperança de um povo. Esses setores encontram-se no foco das atenções e trazem à tona toda a sordidez de sistemas construídos para otimizar uma organização corrupta enraizada nas entranhas do poder político e independente da crise mundial simbolizada pela tensão entre Urano e Plutão, tensão essa que testa as estruturas dos poderes estabelecidos e recria sistemas, mas dificilmente sem uma crise.

O aspecto de tensão entre Plutão (petróleo) e Urano (tecnologia)-Netuno (gás), simbolizam gastos excessivos da máquina governamental, os negócios mal explicados, o mal uso dos recursos naturais e financeiros, drenados em negociatas, explicações furtivas ou nenhuma explicação confiável. E um descompasso entre as expectativas e os resultados efetivos de benefícios à população. Poderá haver, na verdade já está acontecendo um aprofundamento da crise financeira, risco de mais inflação e quebra das esperanças em relação à economia e crescimento e o buraco negro  onde parece ser o destino do grosso dos recursos. E o eclipse simboliza revelação, aponta para onde as mudanças devem ser feitas, a partir de ações do próprio governo.

Os aspectos do eclipse com Plutão/Urano/Netuno revelam mais ainda essa falta de sintonia entre o executivo e o legislativo e chama a atenção também para a necessidade de reforma política, para uma mudança de rumo, corte nos gastos governamentais. Transformar, mudar, evoluir, cortar, são palavras-chave do significado de Plutão. Então esse é o momento de se iniciar mudanças importantes no país, lembrando que Plutão em tensão com Urano no céu são as rebeliões e o radicalismo que pipocam pelo planeta. O momento pede mudanças e reciclagem. E o assunto dessa mudança é a redução de custos, de gastos excessivos nos cartões corporativos, da carga tributária, tudo aquilo que tem a ver com o significado da Casa 2 (em tensão com a Casa 11).

Astro, mapa Brasil com progressões, 2015

Mapa do Brasil com trânsitos e progressões

Há outros aspectos que ocorrem no mesmo ponto do eclipse e reforçam o simbolismo de mudanças:

1 – Sol progredido em 28° Peixes fará conjunção exata com Plutão em 2017, mas a partir de 2016 já ativo, indica que o governo, simbolizado por Plutão – pois é regente de Escorpião que rege o setor da Presidência da República – viverá um ciclo importante de revelações, com assuntos que devem vir à tona que exigirão mudanças profundas na alça governamental.

2 – Marte progredido 29° Peixes já está bem próximo da conjunção exata para 2016. Será um tempo crítico e nova tomada de consciência com alto custo.

3 – Saturno na 10ª – governo, poder Executivo – Faz oposição para a conjunção Lua-Júpiter na 4ª do mapa natal do Brasil até final de novembro de 2015. A 4ª Casa representa os setores rurais, os recursos de um país, o agronegócio, o campo, a produção agrícola, os partidos de oposição. A última vez que ocorreu esse aspecto foi em 1986, durante o governo Sarney, da inflação galopante e do Plano Cruzado, que fracassou e houve uma crise de abastecimento. A Lua conjunta Júpiter é a força do povo, e simboliza também as riquezas naturais do país. A oposição entre Saturno e Lua-Júpiter, pode indicar crise entre governo e produtores agrícolas. Em 2008, quando ocorreu a quadratura entre Saturno com Júpiter-Lua, houve a oportunidade de correção de rumo e uma vez que nada foi feito, agora, com essa oposição entre os dois planetas, o simbolismo é de culminância de um processo, o que no caso, vem à tona o problema acumulado. E mais uma oportunidade de corrigir os erros dos últimos anos. Saturno pode restringir a produção nesse momento, por má gestão política ou causas naturais ou ambas as coisas, gerando intranquilidade e reação popular contra a carestia.

3 – O agrupamento de planetas em Áries no mapa do Ano Novo Solar em sinastria com o mapa natal do Brasil, também está na segunda Casa, mais um componente que reforça a questão econômica como a área mais afetada.

Porém, há perspectivas de melhorias a partir de agosto, quando Júpiter ingressar em Virgem, signo natal do Brasil. Já em junho de 2015, fará conjunção com Vênus e 7ª Casa, o que sugere uma abertura para alianças e acordos bilaterais e maior participação no cenário internacional de forma a atrair bons negócios com parceiros importantes. É bom para a economia do país que tende a melhorar e se fortalecer. A conjunção de Júpiter com o Sol natal do Brasil pode simbolizar um novo começo de crescimento. Os aspectos de Júpiter são positivos mas não anulam a necessidade de mudanças que estão na boca do povo, que são urgentes, e requer procedimento cirúrgico se quiser tirar o paciente da UTI.

A sequência do eclipse de março será em 13 de setembro de 2015, como escrevi acima. Ocorrerá a 20°30′ Virgem, na 8ª Casa e fará conjunção exata com Mercúrio natal e regente do mapa do Brasil. Esse aspecto tem o simbolismo de perda de um governante, de alguém de peso na política nacional. E também com a política tributária, finanças corporativas.

Em tempo, o Ano Novo astrológico que se inicia em 20 de março será regido por Marte, que se encontra em seu próprio domicílio até 31 de março de 2015. Marte é o deus da guerra, o guerreiro herói das justas causas, que gosta de correr riscos e de aventuras, é o mocinho do filme de bang-bang, mas é também o boçal que comete violência gratuita. É a faca amolada, as ferramentas metálicas, objetos pontudos. Todo cuidado é bom ao lidar com objetos assim. O simbolismo é de dinamismo, ação criativa, competitividade, coragem, colocar o trem nos trilhos, audácia e iniciativa empreendedora. Se mexer, agir, sem deixar de levar o outro em consideração, porque Marte não vive sem Vênus e o que Vênus ensina é amor, beleza, cooperação e compartilhamento.

Arte, Marte e Vênus, Botticelli, 1483

Marte e Vênus, Botticelli, 1483

Mercúrio Retrógrado e a Regulação da Mídia

Astro, Hermes

É verdade que Mercúrio aprontava muito no Olimpo, mas a inteligência e genialidade desse filho de Zeus e Maia seduziram a boa vontade dos deuses e ganhou seu lugar no Olimpo. Tem o dom das palavras, da intermediação, agilidade e sinapses mentais, entre muitas outras coisas. Na astrologia, Mercúrio rege todos os tipos de comunicação e movimentos.

Desde 22 de janeiro de 2015 e até 12 de fevereiro de 2015, Mercúrio encontra-se em movimento retrógrado, um movimento aparentemente em retrocesso a partir do observador terrestre. Ou seja, o ritmo diminui, muda a velocidade das coisas e é uma época propícia para repensarmos tudo o que estamos fazendo.

Em 24 de janeiro de 2015, apenas dois dias após Mercúrio iniciar movimento retrógrado, o ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, vem a público anunciar que vai implementar o debate da regulação da mídia, assunto que estava na pauta já há algum tempo de forma bastante polêmica e volta agora à tona. Diz ele que até março de 2015 quer ver esse assunto debatido e resolvido, sendo dois os tópicos principais: regulamentação econômica e de conteúdo. Esta última seria vetada pela presidente Dilma, segundo ela mesma. Não podemos confiar muito, já que em política tudo parece ser retórica.

Mercúrio retrógrado em Aquário, envolve as telecomunicações, a mídia pela internet, as redes sociais, e toda a aparelhagem que envolve esses sistemas. O que é falado agora pode se tornar uma miragem depois. Esse é um tempo propício para revisão de projetos, estudos (retomar matérias que estavam paradas e encontrar aquele texto que vai dar um upgrade no assunto), retomar contatos. Mal entendidos podem surgir com facilidade, promessas tornam-se quimeras, então, evite falar sem pensar, porque o que disser poderá se tornar uma fofoca sem fim. O silêncio é de ouro. Escutar mais, falar menos e prestar atenção nos detalhes daquilo que fazemos. E lupa nos contratos que por acaso for assinar.

É fundamental que haja clareza nesse processo de debate, em como será feito. E atenção com as artimanhas, porque tudo o que não queremos é o retorno à censura e ao fim dos direitos democráticos.

A Fase Crescente de Urano-Plutão

Astro, combate

Assim como acontece com as fases lunares, Lua Nova – quando Sol e Lua estão em conjunção – e as fases seguintes, Crescente, Cheia e Minguante, todos os planetas têm o seu ciclo particular com qualquer outro planeta. A fase Nova equivale a uma conjunção, o início de um ciclo, semeadura de acordo com as características de cada planeta envolvido. A fase Crescente simboliza o tempo em que encontramos o momento de dar um impulso para a frente corrigindo o curso daquilo que foi lançado. A fase Cheia representa a culminância do propósito, simbolizada pela conjunção inicial e o check in daquilo que aconteceu, a forma que se desdobrou e cresceu e a partir daí, fazer as correções de rotas necessárias. E na fase Minguante finalizamos a etapa e nos preparamos para uma nova conjunção e um novo semear.

Urano e Plutão são planetas coletivos e juntos com Netuno simbolizam as culturas de massa. A última conjunção de Urano e Plutão ocorreu em 1965-1966, meados dos anos 60. O historiador Eric Hobsbawm¹, afirma que a Era de Ouro do século XX ocorreu entre 1947 e 1973, sendo a década de 1960 a mais próspera do período. A revolução cultural que teve início no ocidente nos primeiros anos da década de 1960 tiveram uma ampliação contundente de expressão criativa, nos anos 1965-66, refletindo exuberância em todos os campos culturais, na música, na moda, na possibilidade maior dos jovens terem seu próprio dinheiro, das vendas recordes de discos, no cinema, na questão ambiental e no comportamento, quando o tripé Hippies, Nova Esquerda e o Movimento dos Direitos Civis, formou o que se tornou conhecido como Contracultura. Foi a era dos festivais em grande escala, que culminou com Woodstock, projetado para receber 200.000 pessoas e chegaram 500.000.

Porém ocorreram também situações de extrema inflexibilidade política, como as ditaduras que assolaram a América Latina, o Brasil (a conjunção se deu no signo de Virgem, signo natal do Brasil), tinha acabado de viver um golpe militar. Na China ocorreu a Revolução Cultural, que se tornou um tempo de perseguições e excessos.

Urano e Plutão estão agora e desde 24 de junho de 2012, em sua fase Crescente, isto é, em quadratura entre si. Esse aspecto finaliza em 20 de fevereiro a 17 de março de 2015. Finaliza o aspecto exato, porque os rastros continuarão pipocando mais alguns anos à frente. Urano encontra-se em Áries e Plutão em Capricórnio. Apenas para lembrar, porque esse assunto tem sido amplamente publicado, são os dois planetas mais radicais em signos cardinais, que promovem a ação. Urano em Áries simboliza pioneirismo em tecnologias e tem também um combustível altamente inflamável. Plutão em Capricórnio simboliza a ação transformadora sobre estruturas datadas, invalidadas, politicamente, financeiramente, governantes e autoridades, tudo junto. É um tempo de reciclagem, transformar o lixo em luxo.

Os acontecimentos de 7.01.15 em Paris mostram que assuntos não resolvidos no mais distante passado vêm à tona e expõem o tamanho da tensão existente entre duas partes. Culturas milenares, religiões, são combustíveis ardentes que provocam radicalismo nas ações. O problema é que essas ações extremistas são combustíveis ardentes para pessoas, grupos ou governos, para não falar no clero, que irão se aproveitar para exploração política da situação. Recrudescimento das ações, demonstração de poder, são um passo para nacionalistas, fascistas, botarem a carinha pra fora. A ascensão do Partido Nazista na Alemanha em 1931², também tinha uma quadratura (minguante) Urano-Plutão no céu. Xenofobia gera violência. Intolerância que gera brutalidade desproporcional gera também violência extrema, medos, imposições ideológicas em mapas geopolíticos. Depois de um trânsito envolvendo Urano-Plutão, nada será como antes. Agora é o momento do mundo se reciclar, para chegarmos com carga menor em 2046, quando ocorrer a fase cheia, isto é, o ponto de culminância do ciclo, a oposição entre ambos os planetas nos signos de Virgem e Peixes.

¹ Ver em “Século XX – Era dos Extremos”, Eric Hobsbawm, pag 255.

² Data pesquisada em texto de Fernando Fernandse para Constelar.

Saturno visita Sagitário

Astro, Saturno visto de cima em mosaico de imagens da sonda Cassini em 10.10.13

Imagem da sonda Cassini, 10.10.2013

Às 13 hs 33 min 59 seg de 23 de dezembro de 2014, Saturno ingressará no signo de Sagitário, onde esteve pela última vez em novembro de 1985.

Como Saturno se sentiria voltando à casa de seu filho, aquele mesmo que ele desejou matar, mas que no final das contas foi morto por ele ? Na Mitologia Clássica tudo tem um significado arquetípico, mas sim, diz o mito que Chronos, Kronos, ou simplesmente Saturno, seu nome latino, ao saber que um filho seu viria a destroná-lo, passou a devorar todas as criancinhas recém-nascidas. Mas Zeus, Júpiter, logrou escapar com a ajuda de Réa, sua mãe, e matou o próprio pai, tornando-se o Senhor absoluto do Olimpo. Isto, em si, tem o simbolismo de renovação.

Astro Júpiter 2

Júpiter

Astro, Saturno, senhor do tempo inexorável

Saturno, Senhor do Tempo

Saturno em Sagitário me faz pensar num velhinho duro na queda, montando um cavalo fogoso e segurando-o com rédeas curtas. Ele vai colocar limites na empolgação e nos excessos sagitarianos. O simbolismo de Sagitário remete à juventude, os largos horizontes – tanto físicos quanto mentais – e ao arquétipo da justiça e das leis. Saturno simboliza o tempo e o limite das coisas, as responsabilidades, as estruturas – governamentais, físicas – que conduzem ao topo, às ambições. Saturno transitando através do signo cujo arquétipo remete à Justiça e aos valores éticos vai impor mais rigor e austeridade, mais cobranças relativas à maior responsabilidade e imparcialidade nas ações e na forma de se fazer justiça. O otimismo de Sagitário vai galopar com um disciplinador em suas costas, mas isso poderá ser bom – se for para otimizar os esforços em direção às metas – ou ruim – dependendo dos aspectos que fará em cada mapa. Um slogan para esse ciclo pode ser Menos é Mais, ou Vamos Fazer Melhor.

Apenas dois dias antes, outros dois eventos importantes vêm reforçar o colorido dos próximos quase 3 anos de Saturno em Sagitário (até 2017, quando então retornará ao seu castelo, Capricórnio).

Em 21 de dezembro 2014, às 21:03:01 hs (horário de verão), acontece o Solstício de Verão no Hemisfério Sul, o advento do Verão, com a entrada do Sol em Capricórnio, o dia mais longo do ano. No Hemisfério Norte é o Solstício de Inverno, o dia mais curto do ano.

Astro, Stonehenge, 21 dezembro 2014, by Matt Cardy

Foto : Solstício de Inverno em Stonehenge, por Matt Cardy

No Hemisfério Norte, muito antes da Era Cristã, ocorriam festivais pagãos, as Saturnálias, por ocasião do Solstício de Inverno, “o retorno da luz”, festa solar que era celebrada em 25 de dezembro. Depois, a partir do século IV, é celebrada pelos cristãos como o nascimento de Cristo (Salmo 84:11, Jesus é o sol. Mas não no sentido pagão, mas no sentido de trazer luz à humanidade), o nosso Natal.

E logo depois, às 23:36 hs, ocorre a Lua Nova de Capricórnio, somando assim, três eventos sob a égide saturnina, o que nos faz refletir sobre a seriedade desse tempo e também a um ciclo anual que se finda e um outro que se inicia, propício à  reflexão para o Ano Novo que se aproxima.

Lua Nova de Sagitário e Ártemis, a Deusa dos Bosques

Astro, Artemis, Senhora dos Bosques

A Lunação de 22 de novembro de 2014, às 09:32 hs (UTC -03, hora de Brasília), em Sagitário, remete à deusa Ártemis, a Senhora dos Bosques, deusa da natureza e das Amazonas, de pontaria infalível, protetora das crianças e também dos nascimentos. Na antiguidade, sua data era celebrada com a entrada do Sol no signo de Sagitário, como agora. Protegia as florestas e punia com rigor aqueles que derrubassem uma árvore. E isso é um assunto tão atual e importante, em que nossas florestas sofrem um impacto crescente de desmatamento. Nesse momento de transição governamental, seria um ótimo momento para que os articuladores da política nacional, dessem atenção à questão ambiental como um todo, o que inclui a questão do desmatamento, principalmente na Amazônia.

Sagitário é o signo do otimismo e expansão e a Lua Nova significa novas sementes de novos interesses que podem ser simbolicamente colocados na ponta da flecha simbolizada por Sagitário, e lançadas na direção do alvo, de sua intenção. Vênus transitando em Sagitário até 10 de dezembro de 2014 tem também o perfil da arqueira, que aponta para a ação independente, para a liberdade individual de se lançar a novos horizontes. Porém, o Ascendente dessa lunação é Capricórnio, que pede ações concretas e responsáveis, para que as sementes lançadas germinem e se desenvolvam positivamente através dos ciclos que virão.